Por que os clareamentos dentários devem ser feitos antes da reabilitação oral?

Dentes mais brancos e saudáveis é um desejo da maioria dos pacientes. Durante um tratamento dentário completo (reabilitação oral), pode surgir a necessidade de realizar coroas, implantes dentários, restaurações e próteses, facetas de porcelana ou lentes de contato. Mas nem sempre o paciente deseja realizar um clareamento dentário naquele momento pois devem haver necessidades funcionais mais importantes como cáries ou ausência de dentes. Porém é necessário tomar a decisão de realizar o clareamento dental ANTES do tratamento completo.

Na verdade todos os materiais das próteses dentárias e restaurações devem ter suas cores escolhidas em harmonia com os demais dentes naquele exato momento.

Se o clareamento dentário for deixado para depois da reabilitação oral, os dentes naturais do paciente irão clarear enquanto que os dentes tratados não irão pois os materiais dentários(porcelana, zircônia e resina) não clareiam sob efeitos do gel clareador. Neste caso os dentes tratados ficarão com manchas ou escuros quando comparados aos dentes clareados.

O material utilizado no gel clareador (peróxido de carbamida ou peróxido de hidrogênio) não tem influência neste fenômeno, nem se a técnica de branqueamento dental for a laser ou caseira. Fonte: Blog Implart.

Conheça um pouco mais sobre prótese dentária…

Prótese dentária é um dispositivo que tem como objetivo único a substituição ou reposição de dentes perdidos e as suas estruturas adjacentes, através de elementos artificiais que pretendem imitar de forma bastante eficaz os dentes e até gengivas. A sua função é no fundo a de restituir as funções mastigatórias de forma eficaz e ao mesmo tempo corrigir esteticamente a boca e dentição do cliente.

Os materiais para confecção dos variados tipos de próteses são bastante diversificados, tais como resinas, cerâmicas, metais de transição ( titânio, cromo, cobalto, níquel, cobre, zircônio, paládio, prata, ouro). Os metais de transição são duros e possuem alto ponto de fusão e ebulição. Conduzem bem o calor e a eletricidade. Pode formar ligas entre si o que ocorre habitualmente para confecção de alguns tipos de próteses, como exemplo a parcial removível (Roti). Apresentam estados de oxidação variados, por isso os dentes podem apresentar margens escuras ou não. O zircônio é parecido com a cor do dente, duro, porém tem alto valor comercial para confecção de próteses. Popularmente dizendo ‘está na moda’.

Que tipos de prótesesdentárias existem?

Há várias formas de classificar as próteses dentárias, mas poder-se-ão resumir a três: quanto à extensão da prótese; tipo de suporte, tipo de fixação.

Passemos então a explicitar mais detalhadamente cada um:

- Segundo a sua extensão podem ser: unitárias, no caso de substituírem, por exemplo, apenas um dente; parciais, caso as próteses substituem 2 ou mais dentes e totais quando não há dentição alguma e toda a função mastigatória tem de ser reposta com um dispositivo que o faça para a totalidade da dentição.

- Segundo tipo de suporte: irei referir os casos mais comuns de suporte e fixação de próteses, pois na realidade, há diversas formas de suportar estas estruturas. As próteses dentárias podem ser suportadas nas estruturas de outros dentes (as chamadas pontes fixas), podem suporta-se à mucosa mastigatória (o caso das chamadas dentaduras), pode também optar-se pelo suporte em implantes, as chamadas próteses sobre implantes. Também há próteses parciais mistas que são suportadas na mucosa mastigatória e em dentes remanescentes (Roti).

- Segundo o tipo de fixação: as próteses fixas e as removíveis. A forma mais comum de classificar as próteses dentárias é pelo atributo do tipo de fixação, as próteses removíveis se tratam de próteses que se podem retirar no dia-a-dia, ou se pelo contrário são fixas por dentes ou implantes. Estas próteses diferem enormemente pela técnica de higienização. Se por um lado as próteses removíveis são de uma limpeza muito mais fácil, já que a sua remoção permite até desinfetá-las, as próteses fixas podem apenas serem limpas pelo método da escovação dental comum e com auxilio de fio dental. Quem tem próteses fixas, tem que ter bastante asseio com a boca. 

Tantos tipos de prótese…Qual devo escolher?

Existe uma variedade enorme de próteses dentárias devido as suas classificações o que pode levar a opção equivocada. É importante referir que para cada caso é aplicada uma prótese mais adequada. E nem sempre é possível dar ao cliente a escolha entre próteses, a opção deve ser feita tomando em conta não só o resultado que pretende o cliente, mas também suas possibilidades econômicas e até suas exigências estéticas. Como se vê não é tanto uma questão de escolha da prótese, mas antes uma questão de adequar a prótese certa a cada caso.

Ex.: Vantagens da prótese sobre implantes comparando com as próteses totais removíveis (dentaduras) e as próteses parciais removíveis: conforto mastigatório, limitação da reabsorção óssea, efeito psicológico positivo, poishá um sentimento de presença de dentes novamente, não machucam a gengiva, etc. Fonte: Folha da Terra/ES

A Clinica Ceiop é especializada em Implantes e próteses dentárias. Marque agora mesmo sua consulta para fazermos uma avaliação grátis (67) 3331.5226

Dicas para manter os dentes brancos com frutas!

Dicas para um sorriso sempre bonito

  1. A higiene é o primeiro passo. Lavar os dentes, utilizando uma escova de dureza média e uma pasta dentífrica branqueadora, depois de cada refeição e antes de ir para a cama é essencial. Todavia, antes deste procedimento há outro não menos importante: passar o fio dental.
  2. As comidas mais ácidas fazem com que os dentes fiquem mais susceptíveis a manchas. Por exemplo, sabia que o vinho branco mancha mais os dentes que o vinho tinto? É a alta acidez no vinho branco que torna os dentes mais susceptíveis a manchas de chá, café ou qualquer outra coisa que você coma ou beba e que tenha cor, ao mesmo tempo que bebe o vinho branco.  Também os molhos são verdadeiros inimigos dos dentes brancos. Ketchup, mostarda, molho de soja e todo o tipo de bagas são alimentos que acabam por manchar os dentes. O ácido corrói o esmalte dos dentes, causando manchas ásperas e sulcos que os deixam vulneráveis ​​às manchas da comida e bebida mais colorida. Espere pelo menos 30 minutos para escovar.
  3. Escovar os dentes imediatamente após comer ou beber alimentos ácidos não é recomendado. O esmalte do dente já foi enfraquecido devido ao ácido e açúcar e escovar pode acabar por corroer o esmalte ainda mais, aumentando o problema.
  4. Alguns alimentos como maçãs, aipo ou cenouras contribuem para a remoção de depósitos sobre os dentes porque aumentam a produção de saliva.
  5. Se você fuma, as manchas acastanhadas causadas pela nicotina podem ser difíceis de eliminar, uma vez que estas penetram noesmalte. Neste caso, branqueamento por um dentista pode ser a melhor solução.
  6. Os morangos são um dos maiores segredos caseiros para tornar os dentes mais brancos. O ácido málico dos morangos atua como um adstringente para remover a descoloração da superfície e ajudar a branquear os dentes.
  7. Para evitar o amarelecimento dos dentes, os dentistas recomendam escovar regularmente os dentes, pelo menos durante três minutos, após cada refeição (três vezes ao dia).
  8. Finalmente, há que fazer visitas periódicas (duas vezes por ano) ao dentista para efectuar limpezas aos dentes e aferir acerca da necessidade de um retoque no branqueamento, sobretudo se se é grande consumidor dos “inimigos” mais declarados. Fonte: mundodabeleza.net

Quanto tempo dura o clareamento?

A longevidade dos dentes branqueados depende de sua dieta e estilo de vida. Se você comer alimentos altamente coloridos, terá que refazer o tratamento com mais frequência.

Em geral, para que o clareamento dos dentes dure por um longo tempo, você vai precisar fazer algumas sessões de manutenção do clareamento regularmente.

Se o seu dentista usou moldes individuais para o clareamento, talvez você necessite tirar os moldes de sua boca por dois dias seguidos, a cada 6 meses ou mais. Mas lembre-se, o processo de clareamento, muitas vezes pode danificar o esmalte do dente e enfraquecê-lo.

O ponto principal é que se você tiver bons hábitos de higiene bucal, escovar os dentes com creme dental branqueador, e evitar alimentos que mancham os dentes, a manutenção será mais fácil.

A idade também influencia o quanto os seus dentes ficarão brancos. Pessoas mais velhas têm mais dificuldade do que as mais jovens. Infelizmente, a idade afeta todo o corpo, incluindo os seus dentes! Fonte: Eitza

Cuide da sua gengiva

75% da população maior de 25 anos de idade apresenta doenças nos tecidos de sustentação dos dentes


Setenta e cinco por cento da população adulta tem algum tipo de doença periodontal. Pode ser uma gengivite, que ataca só a gengiva, uma periodontite crônica, em que até o tecido ósseo é afetado, ou mesmo manifestações mais sérias que resultam de doenças sistêmicas, como o diabete. Se a coísa se agravar, você acabará perdendo um ou mais dentes. Na maioria dos casos, não há nenhuma dor para disparar o alarme. E é aí que mora o perigo. Os pacientes deixam para procurar ajuda apenas quando o problema piora demais. Uma grande preocupação dos especialistas é a relação da doença periodontal com outros males até mesmo os cardíacos. “Muitas .infecções surgem ou se agravam quando a gengiva não é tratada”.

Clínica CEIOP

A Clínica CEIOP- Centro especializado em implantodontia, ortodontia e prótese instalada na cidade de Campo Grande- MS surgiu de um projeto moderno e ambicioso para oferecer aos pacientes um tratamento odontológico diferenciado e inovador.

ceiop-clinica

A clínica conta com uma equipe de especialistas, jovens e dinâmicos, atuando nas mais diversas áreas, desde estética até cirurgias avançadas, capaz de fornecer conforto e facilidades ao cliente: podendo ele realizar todo o seu tratamento num só lugar. Buscando excelência no atendimento, com profissionais capacitados, instalações e equipamentos de última geração, a CEIOP é hoje um novo conceito em odontologia em Campo Grande – MS. Contamos com uma estrutura adequada a realizar tratamentos em um único dia (SPA odontológico), no qual o paciente é atendido por todos os profissionais dependendo de seu caso e pode descansar na sala de repouso feita especialmente para este fim, munida de ar condicionado, frigobar e tv a cabo.

ceiop-clinica-2

A Clínica CEIOP também pode ser entendida como a realização do sonho de uma Clínica de Odontologia que fosse uma extensão de sua casa e tivesse o conceito de “Odontologia Integrada”. Integrada tanto do ponto de vista da odontologia como da perspectiva de integração com o mundo em que vivemos.

ceiop-clinica-3

A Clínica CEIOP oferece aos seus clientes as seguintes especialidades: estética restauradora, ortodontia e ortodopedia facial, implantodontia, endodontia (tratamento de canal), cirurgias avançadas, próteses, periodontia (tratamento de gengiva) e a cada novo cliente, ganhamos um amigo e sempre estaremos cumprindo com nossa missão que é “Oferecer a sociedade tratamento odontológico diferenciado e inovador com alta tecnologia e qualidade”.

Implantodontia [parte 3]

Após a colocação dos parafusos, dos implantes dentários, existe 3 possibilidades, dependendo da técnica a ser utilizada:

      A- A colocação de uma tampa sobre implante (existe uma rosca, na cabeça do implante dentário, onde é fixado essa tampa), sutura e depois, se passa para a segunda faze cirúrgica.

      B- A colocação de uma tampa sobre a parte do implante e também de enxerto ósseo, caso necessário (quando a perda óssea é pequena), sutura e passamos para a segunda faze cirúrgica.

      C- A colocação imediata de um dente provisório e sutura. (o paciente já sai com os dentes sobre os implantes). Obs: Essa técnica é utilizada, só quando temos condições de faze-la, pois depende de vários fatores, para não prejudicar o implante dental, recém colocado.

Reabertura dos Implantes dentários: É a segunda fase cirúrgica. Com um mínimo de 4 meses após a primeira fase cirúrgica, é feita uma pequena abertura na gengiva para acomodar um conector(chamado de cicatrizador), que vai unir a raiz artificial à coroa (o novo dente) e dar o contorno adequado à gengiva;

Moldagem: Uma vez cicatrizada a gengiva, é feita uma moldagem, com a colocação de pequenos pinos. São feitos modelos de gesso da boca, com os implantes em suas posições exatas;

Provisórias: Feitas em acrílico da cor dos dentes, para estimular a maturação óssea em volta das raízes artificiais;

Dentes definitivos: Como todas as conexões são pré-fabricadas, a adaptação e justeza do trabalho são incomparáveis. Os dentes são parafusados sobre as raízes artificiais e podem ser removidos sem esforço pelo profissional, caso seja necessário algum reparo da porcelana, tratamento gengival ou aumento da prótese por perda de algum outro dente natural. Mesmo na ausência de qualquer destas intercorrências, anualmente, é aconselhável o desparafusamento e um polimento. O conector, que aparece sob os dentes, pode ser recoberto com resina da cor dos dentes vizinhos, para melhor estética.

Carga Imediata, o que é?

Carga Imediata é a colocação imediata de um “coroa provisória”, já no ato cirúrgico, logo após a colocação do implante, não aguardando o prazo de 4 ou 6 meses Esse tipo de procedimento, só pode ser usado, em certos casos, em que não vai haver carga mastigatória excessiva, sobre esse implante, pois se isso ocorrer, pode haver perda do implante dentário.

Causas de Falência, do Implantes Dentários:

Estudos estatísticos apontam que, dentre os poucos casos de insucessos, levando a perda dos implantes dentários, a esmagadora maioria é causada por falta de cuidados higiênicos adequados e a consequente formação de placa microbiana entre as raízes artificiais e as gengivas.

Caso Clínico de Prótese Fixa sobre Implantes:

Exemplo de um caso clínico, em que foi feito uma fixa de porcelana com 5 elementos sendo 3 elementos (canino e premolares, possuem raízes com pinos e nos molares foram colocados dois implantes rosqueados de titânio. Obs: como não se pode fixar implantes com dentes naturais, foi colocado um encaixe entre os molares e os premolares. As próteses dos molares foram fixadas ao implantes com parafusos para poder ser retiradas pelo dentista para se avaliar as condições do implante e quanto o estado de sua higienização, que esta sendo feita pelo paciente.

Implantodontia [parte 2]

As melhores indicações, para a colocação de implantes dentários, são as regiões anteriores, de pré-molar a pré-molar em maxila e em mandíbula. Regiões mais posteriores podem sofrer restrições por apresentarem acidentes anatômicos que atrapalham a instalação de um implante dental, embora seja necessário um exame radiográfico para a perfeita indicação ou contra-indicação. Mesmo nesses casos, se pode conseguir implantar, com o auxilio de técnicas que preparam o osso, para que possa ser possível a colocação de implantes dentários. Infelizmente é contra-indicado os implantes dentários em alguns pacientes portadores de Diabetes, com taxa de glicose no sangue alta, e que não se consegue uma redução desses niveis, para indices aceitáveis, pois nestes pacientes a osteointegração fica prejudicada. A cirurgia de implantação dentária é delicada para o cirurgião. Para o paciente ela não traz maiores dificuldades. É executada sob anestesia dentária local comum, em consultório, com os cuidados normais de uma pequena cirurgia bucal. A dor é facilmente controlada com analgésicos, tornando o pós-operatório bastante cômodo.

A implantação é realizada em seis etapas:

Planejamento: É mais difícil e importante das etapas. Nela serão solicitados exames radiográficos com marcadores especiais que permitam uma medição exata da quantidade de osso disponível em seus maxilares. Quanto maior a quantidade (altura e espessura e qualidade do osso), maior poderá ser o tamanho do implante dentário e consequentemente maior a resistência do mesmo. Serão avaliados minuciosamente as estruturas orais, (incluindo dentes, gengivas, mucosas, língua, músculos da mastigação, padrão de mordida e desoclusão, avaliação da saliva e hábitos higiênicos). Serão feitos modelos de gesso de suas arcadas dentárias para estudo, os quais serão montados em um articulador (aparelho para o estudo dos movimentos mastigatórios). Nele serão estudados a forma e função dos seus dentes naturais, possibilidades e alternativas de próteses (planejamento dos dentes artificiais). Serão solicitados exames laboratoriais, para avaliar sua condição geral de saúde e metabolismo ósseo e, ainda, exames específicos para detectar sua qualidade óssea. Com base nisto tudo, o profissional decidirá o tipo de prótese ideal para o seu caso específico (Fixa de porcelana, por exemplo, ou no caso de quiser fixar mais, as dentaduras, barateando o custo, neste caso). Juntando estas informações com suas medidas e qualidade ósseas é que será decidido o número, distribuição (localização ideal) e tamanho dos implantes. Quanto maiores, mais largos e em maior número, tanto melhor o resultado final e melhor a capacidade mastigatória. Serão avaliadas suas gengivas e sua higiene. Doenças gengivais, cáries, infecções, dentes com tratamento de canais duvidosos e má higiene (acúmulo de placa microbiana) contra-indicam a colocação de implantes. A fase cirúrgica só pode ser realizada após completamente eliminados os problemas acima.

Colocação dos implantes de dentes. Primeira fase cirúrgica: Depois da aplicação de anestesia, é feito a incisão e descolamento da gengiva, no local previamente determinado para a colocação dos implantes (esses passos são feitos, se não for preciso enxerto de ossos antes). Depois são feitas cavidades no osso (uma para cada implante) onde serão alojados os implantes (normalmente, utilizamos os implantes do tipo parafuso, por possuir uma maior área de contato com o osso, do que os implantes cilíndricos). Depois de feito as cavidades os implantes são aparafusados no osso (a semelhança que se faz para aparafusar um parafuso, em uma madeira).

Implantodontia [parte 1]

Desde o primórdio da humanidade, o ser humano sempre buscou a reposição de perdas dentais através de diversos materiais, como demonstram crânios arqueológicos com sinais de tentativas de implantação dentária com conchas, marfim, madrepérola, etc.  Mesmo nos tempos mais modernos, a Implantodontia sempre esbarrava com a dificuldade do organismo em “aceitar” um material estranho ao nosso meio, mesmo quando era utilizado “dentes humanos” acabavam sendo “rejeitados” e expulsos de seus locais quando se tentava implantá-los. O uso de materiais metálicos ou sintéticos, embora contornassem o problema da “rejeição”, não resolviam os problemas, pois o organismo simplesmente encapsulava (formava de um tecido fibroso, em lugar do osso) o “implante dental”, impedindo a sua função como elemento mastigador e, o que é pior, sujeitando o paciente ás infecções peri-implantares.  Hoje, sabe-se que a utilização de implantes de dentes, feitos com materiais a base de titânio são bem tolerados e faz com que haja uma integração do osso, com o material utilizado (Osseointegração) e assim a implantodontia deixou de ser uma esperança para se tornar uma realidade biologicamente aceitável, com prognósticos de sucesso de 94% nos casos de implantes maxilares e de 97% nos casos de implantes mandibulares.

O implante dentário, consiste em um cilindro, feito de metal Titânio 99,99% puro, usinado, que se comporta como uma raiz dentária artificial. Apresenta uma rosca interna e externa dependendo do tipo de implante utilizado. A externa é para aumentar a área de integração com o osso e a interna para suportar a futura prótese, que pode ser uma coroa artificial ou uma ponte fixa. Na nossa clínica utilizamos os implantes do sistema 3i, considerados um dos mais modernos do mundo. Os implantes de dentes apresentam algumas limitações, tais como idade, anatomia e condições orgânicas do paciente. Só pode ser colocado em um paciente que possua o desenvolvimento completo(17 anos nas moças e 18-19 anos nos rapazes) e nos idosos poderão ser instalado sem problemas, naqueles que possuam boas condições orgânicas.

Clareamento dental CEIOP

O clareamento dental já alcançou grande popularidade na sociedade brasileira, graças a valorização do indivíduo perante a estética.

Atualmente as técnicas de clareamento apresentam maior segurança, menores custos, menor sensibilidade dental e sem dúvida melhor domínio das técnicas pelo profissional cirurgião-dentista.

Existem atualmente duas formas de abordagem, a técnica conhecida como Clareamento de consultório ou Profissional e a outra chamada Caseira Supervisionada.

Na técnica profissional, o procedimento é realizado no consultório, com isolamento do campo operatório e proteção gengival, é utilizado peróxidos de maiores concentrações e é indicada quando encontram-se manchas localizadas ou se quer um resultado rápido.

A técnica caseira é monitorada por um profissional e realizada pelo paciente fora do consultório, utilizando peróxidos menos concentrados, mas por mais tempo.

Faça uma consulta CEIOP e surpreenda-se.

CEIOP. Um novo conceito em odontologia.