Boca bem cuidada é sinônimo de corpo saudável…

Falta de cuidados com a boca e a região dentofacial aumentam o risco para problemas respiratórios, de sono, zumbido e inclusive doenças cardiovasculares.

 

Falar, mastigar, deglutir e reconhecer o sabor dos alimentos são algumas das ações realizadas pela boca e seus componentes consideradas fundamentais para a sobrevivência do ser humano. A importância da saúde bucal vai além da digestão e linguagem, afetando a estética, a condição sistêmica do organismo e a vida social. “O indivíduo tem que ter confiança na sua imagem para conseguir se relacionar com as outras pessoas sem constrangimentos e um sorriso bonito e saudável é o primeiro passo”, observa o ortodontista e ortopedista facial Gerson Köhler.

A boca é a porta de entrada de alimentos, bebidas e de muitos micro-organismos que ficam instalados e se desenvolvem nos dentes, gengivas e mucosas bucais. Sem a higiene adequada, ocorre a proliferação de bactérias que podem causar infecções. O problema tem início na boca e se espalha gradativamente para outras partes do corpo. “A saúde bucal não pode ser desvinculada da saúde geral. Estudos científicos já comprovaram que doenças bucais podem provocar doenças sistêmicas e vice-versa”, destaca o especialista, integrante da equipe interdisciplinar da Köhler Ortofacial.

Os órgãos possuem uma interdependência para assegurar a integração do trabalho, ou seja, o funcionamento de uma área depende da outra e se houver algum problema o todo será prejudicado. “Além de comprometer o bem-estar físico e a qualidade de vida do indivíduo, a má higiene bucal pode gerar alterações psicológicas. É necessário ter uma visão ampliada da saúde, pois a boca faz parte de um sistema maior. As anomalias dentofaciais, como as oclusões incorretas, mordida aberta ou cruzada e o apinhamento dentário, também geram reflexos na saúde sistêmica do organismo”, enfatiza.

De acordo com Juarez Köhler, especialista em ortodontia e ortopedia facial e responsável pelo setor de Monitoração Ortopédica da Face Pediátrica (MOFP) da Köhler Ortofacial, a boca não pode ser vista de maneira isolada pelos profissionais. A saúde bucal se reflete nas articulações, vasos sanguíneos e órgãos que parecem – aparentemente – não ter contato com os dentes. “Coração, pulmões, estômago e até as artérias podem sentir os danos de uma cavidade bucal doente. Algumas horas sem escovar os dentes são o suficiente para a formação da placa bacteriana, que causa cáries e periodontite e – a partir desta – pode repercutir inclusive sobre a saúde do coração”,  esclarece.

Boca doente aumenta o risco de doenças cardíacas

As inflamações causadas por micróbios afetam a gengiva e contribuem para o surgimento da gengivite, que progride para a doença periodontal. A consequência é o aumento do risco de doenças cardíacas, respiratórias, artrites, gastrites e sinusites. Quem não escova os dentes pelo menos duas vezes ao dia tem 70% mais chances de desenvolver um problema cardiovascular. “A escovação e o uso do fio dental são essenciais para manter a boca e o restante do corpo saudáveis. Logo após as refeições deve ser realizada a higienização dos dentes e da língua”, recomenda Gerson, professor da pós-graduação da UFPR há 23 anos.

As bactérias aproveitam as lesões na gengiva e o espaço entre o dente e o osso para entrar na corrente sanguínea e percorrer o organismo. Se o indivíduo estiver com o nível de colesterol elevado, as artérias não serão poupadas pelos microorganismos. Eles ainda favorecem a constituição de placas de gordura nos vasos sanguíneos, o que pode causar um infarto ou derrame.  “Diabéticos e gestantes são ainda mais suscetíveis aos males que os micróbios da doença periodontal podem causar. As grávidas têm mais chances de ter parto prematuro e as pessoas com diabetes tem mais dificuldade para controlar a glicemia”, comenta Juarez.

Zumbido e alterações no sono podem ser causados por problemas bucais

O zumbido, som ouvido na cabeça ou nos ouvidos sem fonte externa, é um sintoma que pode indicar a presença de problemas bucais. O bruxismo, denominação do aperto de dentes provocado pelo excesso de força da musculatura facial, pode causar a compressão de áreas vascularizadas próximas aos ouvidos. “O cérebro pode – em determinados casos – decodificar os sinais da compressão como zumbido. O diagnóstico é feito a partir da realização de determinados movimentos que envolvem a face, a cabeça e o pescoço. A atuação do ortodontista em pacientes com zumbido acontece após a indicação do otorrinolaringologista ou otoneurologista”, explica Gerson.

A qualidade do sono também está relacionada com a saúde bucal. Alterações nas arcadas dentárias podem causar a queda para trás da língua durante o sono. O posicionamento incorreto da língua bloqueia a faringe, impedindo a passagem do ar. “A interrupção da respiração por alguns segundos ou a obstrução parcial da entrada e saída do oxigênio gera a Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS), um dos distúrbios mais graves no contexto da Medicina do Sono. A SAOS é considerada uma doença multifuncional, com várias causas associadas, que prejudica a saúde em geral e contribui para o surgimento de outras enfermidades”, acrescenta Gerson, que atua de maneira interdisciplinar em distúrbios do sono. Fonte: Bem Paraná.

Conheça alguns cuidados para deixar sua escova limpinha…

Uma boa escovação dental é imprescindível para uma vida saudável  e também livre de bactérias e demais problemas bucais. No entanto, em nossa tão agitada rotina, acabamos nos esquecendo de manter as condições necessárias para o uso do tão precioso item que permite  que todo processo de limpeza da boca seja realizado.

Pensando em você, preparamos dicas sobre como higienizar a sua escova dental, como também os cuidados que se fazem necessários quando o assunto é a saúde dos dentes – confira:

Local

Todos os dias a sua escova deve ser limpa e bem armazenada. Por isso, o primeiro fator de peso que determinará se o item será ou não próprio para o uso, se torna o local onde você irá dispor o objeto.

Segundo especialistas, ao usarmos o toalete, vários agentes patogênicos e coliformes fecais ficam presentes no ar do banheiro, principalmente quando a descarga é pressionada com a tampa do vaso aberta. Deste modo, a escova de dental deve ficar em locais fechados, tais como armários,  gavetas ou porta-escovas com tampas, para assim evitar a proliferação de bactérias.

Higienização

Lembrando que a escova dental  é uma importante aliada contra a placa bacteriana, gengivite, mau hálito e aquele horrível aspecto amarelado e com restos de comida, devemos diariamente fazer uma limpeza nesta tão fiel amiga que possuímos.

Para isto, não basta apenas retirar o excesso de água da escova e nem lavá-la com água corrente: faz-se de extrema importância higienizá-la com produtos que tenham ação antimicrobriana, como os enxaguantes bucais, a título de exemplo.

Após a escovação, enxague e seque bem a sua escova, aplicando sobre as cerdas o enxaguante bucal.  Guarde-a sem retirar o produto em um recipiente fechado, livre da exposição dos microorganismos e apenas a lave com água corrente no dia seguinte, antes de usá-la -  deste modo, você eliminará as possíveis bactérias mortas.

Lembre-se que assim como ninguém reutiliza o fio dental ou as roupas sujas em dias subsequentes, o processo de higienização é um hábito que deve ser adquirido diariamente e sem exceção.

Cuidados

Segundo os dentistas, o período para trocar as escovas varia entre dois e três meses, porém fique atento ao seu aspecto: mesmo com processo de higienização, que aumenta muito a sua durabilidade, quando ela já estiver gasta ou com uma aparência escura, já é hora de trocá-la por uma nova. Indica-se também, fazer o mesmo quando o usuário se cura de gripes ou resfriados, de modo que os germes podem sobreviver a ponto de retomar todo o processo infeccioso.

Tomando simples precauções é possível manter as condições de saúde necessárias para você e toda a sua família – são dicas que vale a pena investir. Fonte: Mundo das Tribos portal R7

Dicas para manter os dentes brancos com frutas!

Dicas para um sorriso sempre bonito

  1. A higiene é o primeiro passo. Lavar os dentes, utilizando uma escova de dureza média e uma pasta dentífrica branqueadora, depois de cada refeição e antes de ir para a cama é essencial. Todavia, antes deste procedimento há outro não menos importante: passar o fio dental.
  2. As comidas mais ácidas fazem com que os dentes fiquem mais susceptíveis a manchas. Por exemplo, sabia que o vinho branco mancha mais os dentes que o vinho tinto? É a alta acidez no vinho branco que torna os dentes mais susceptíveis a manchas de chá, café ou qualquer outra coisa que você coma ou beba e que tenha cor, ao mesmo tempo que bebe o vinho branco.  Também os molhos são verdadeiros inimigos dos dentes brancos. Ketchup, mostarda, molho de soja e todo o tipo de bagas são alimentos que acabam por manchar os dentes. O ácido corrói o esmalte dos dentes, causando manchas ásperas e sulcos que os deixam vulneráveis ​​às manchas da comida e bebida mais colorida. Espere pelo menos 30 minutos para escovar.
  3. Escovar os dentes imediatamente após comer ou beber alimentos ácidos não é recomendado. O esmalte do dente já foi enfraquecido devido ao ácido e açúcar e escovar pode acabar por corroer o esmalte ainda mais, aumentando o problema.
  4. Alguns alimentos como maçãs, aipo ou cenouras contribuem para a remoção de depósitos sobre os dentes porque aumentam a produção de saliva.
  5. Se você fuma, as manchas acastanhadas causadas pela nicotina podem ser difíceis de eliminar, uma vez que estas penetram noesmalte. Neste caso, branqueamento por um dentista pode ser a melhor solução.
  6. Os morangos são um dos maiores segredos caseiros para tornar os dentes mais brancos. O ácido málico dos morangos atua como um adstringente para remover a descoloração da superfície e ajudar a branquear os dentes.
  7. Para evitar o amarelecimento dos dentes, os dentistas recomendam escovar regularmente os dentes, pelo menos durante três minutos, após cada refeição (três vezes ao dia).
  8. Finalmente, há que fazer visitas periódicas (duas vezes por ano) ao dentista para efectuar limpezas aos dentes e aferir acerca da necessidade de um retoque no branqueamento, sobretudo se se é grande consumidor dos “inimigos” mais declarados. Fonte: mundodabeleza.net

Morrer pela boca…jamais!

 

Descoberta espécie de bactéria que pode causar infecções e morte ao entrar em contato com a corrente sanguínea.

Pesquisadores identificaram uma bactéria chamada Streptococcus tigurinos, que vive dentro da boca, e pode causar doenças sérias e até mesmo a morte, caso entre na corrente sanguínea.

Os cientistas realizaram testes isolando a bactéria a partir do sangue de pacientes que sofrem de endocardite (inflamação do coração), meningite e espondilodiscite (inflamação na coluna). O que eles descobriram foi que o sangue dessas pessoas é similar a uma espécie de Streptococcus, que vive na boca.

A nova pesquisa foi pubilcada no International Journal of Systematic and Evolutionary Microbiology e permite que os cientistas trabalhem em como a doença é causada, além de avaliar a ameaça que ela representa.

 O estudo foi conduzido pela Dra. Andrea Zbinden, da Universidade de Zurich, na Suíça. A Dra. afirma que a identificação dessa bactéria é essencial para que sua disseminação seja controlada.

 A descoberta não é caso para alarde, mas o próximo passo é descobrir se a presença dessa bactéria na cavidade oral é comum, e quais riscos ela apresenta. Imunossupressão, válvulas cardíacas, cirurgias dentárias ou doenças crônicas são fatores predisponentes comuns para infecções sanguíneas por esse grupo de bactérias. No entanto, os riscos específicos da bactéria S. tigurinos ainda precisam ser determinados. Fonte: Universia Brasil.

Para manter a saúde bucal mantenha os hábitos de higiene sempre em dia, escove os dentes sempre que acordar, após as refeições e antes de dormir, e visite regularmente o dentista.  A Clinica Ceiop é o mais moderno complexo odontológico do Estado. Conheça-nos e marque sua consulta, a primeira é grátis! CEIOP (67) 3331.5226

Saúde da mente e do coração começa pela boca!

A saúde da boca é um tema que, diferente de anos passados, vem ganhando cada vez mais espaço junto a população e em estudos científicos. Através da saúde bucal  se pode detectar doenças ou até mesmo contraí-las, como é o caso do Mal de Alzheimer e as doenças do coração.

O Mal de Alzheimer, degeneração cerebral que atinge cerca de 3% da população com idades entre 65 e 74 anos, é uma doença que ataca não só o doente, mas toda a família. A perda gradativa das funções cerebrais, de memória, raciocínio e comportamento levam a um quadro doloroso que pesquisadores e médicos procuram evitar ao máximo através de medicamentos e soluções que ao menos retardem a evolução do quadro.

Uma dessas soluções aparece em um setor de saúde que, aparentemente, não apresenta nenhuma ligação com a doença: a odontologia. “Pesquisas como da University of Southern California mostraram que doenças periodontais podem contaminar o cérebro com toxinas que, a longo prazo, desencadearão uma inflamação cerebral e quadruplicam as chances de ocorrência do Alzheimer”, afirma o cirurgião dentista Silvio Pardo. Segundo ele, as bactérias que surgem nas infecções de gengiva migram através da corrente sanguínea e podem alcançar diversos órgãos e tecidos. “A saúde da boca, portanto, não diz respeito apenas à boca, mas por todo nosso corpo”, alerta.

A Faculdade de Odontologia de Nova York também caminhou por esse lado. Estudo recente mostrou que os doentes de Alzheimer possuíam um nível muito mais alto de anticorpos e moléculas inflamatórias diretamente relacionadas a quem teve um histórico de doença periodontal em relação a indivíduos saudáveis.

Nem mesmo a mastigação ficou de fora. Quem mastiga de forma incorreta, ou não consegue fazê-la por falta de dentes, pode acumular uma proteína específica, chamada beta, no sistema nervoso central. Essas proteínas danificam neurônios e são indicadoras de Alzheimer. “Então com isso devemos manter os dentes em ordem para preservar a função mastigatória e evitarmos que idosos passem a se alimentar de comidas pastosas. Quanto mais tempo pudermos mastigar nossos alimentos, melhor”, ensina pardo.

 

Estímulo

Se os especialistas concordam que devemos sempre estimular nosso cérebro através de diversas atividades, como falar outras línguas e fazer palavras cruzadas, por exemplo, a odontologia inclui também a perfeita manutenção das capacidades mastigatórias e o cuidado com a gengiva para evitarmos infecções que possam desencadear algo pior no futuro. “O Mal de Alzheimer tem seu componente genético, mas podemos evitar ao máximo cuidando de todos os setores que podem fazer a doença surgir. A odontologia tem papel crucial nesse diagnóstico”, finaliza.

INCOR

Quando ouvimos falar em cuidados com o coração, logo pensamos na necessidade de realizarmos uma alimentação saudável e nos exercícios físicos  frequentes; quase nunca ou poucas vezes esses cuidados são relacionados com a saúde bucal. Existem diversas reportagens sobre como prevenir doenças do coração, mas muito pouco ou nada é relacionado aos problemas bucais que podem causar um processo infeccioso grave, chamado Endocardite Infecciosa ou Endocardite Bacteriana, segundo Iara Hamaoka, cirurgiã-dentista especialista em Periodontia, responsável por promoção de saúde na OdontoPrev.

Além dos dentistas, todos os formadores de opiniões, possuem a missão de conscientizar as pessoas que os problemas bucais podem ser tão ruins para o nosso coração, quanto o excesso de sal, comidas gordurosas e o sedentarismo. A Endocardite Bacteriana é uma grave infecção provocada por bactérias, que ao circularem pela corrente sanguínea, podem se instalar e inflamar válvulas do coração podendo causar derrames e até a morte. Ocorre em qualquer idade e pode atingir principalmente o coração de pessoas que já possuem determinadas anormalidades congênitas e/ou adquiridas.

A especialista aponta que pessoas que possuem doenças periodontais, isto é, inflamações na gengiva e no periodonto (estruturas que sustentam o dente no osso), são duas vezes mais susceptíveis a sofrer doenças cardíacas do que aquelas com gengivas saudáveis.

Pesquisas realizadas no Incor (Instituto do Coração) em São Paulo constataram que aproximadamente 45% das doenças cardíacas têm origem na cavidade bucal, devido a cáries profundas com comprometimento do canal, gengivas inflamadas, restos de dente e abscessos.

“A pessoa que não possui bons hábitos de higiene oral oferece “portas de entrada” para a penetração dos microorganismos comuns desta cavidade na corrente sanguínea, sendo extremamente perigoso para os portadores de lesão cardíaca congênita e/ou adquirida e com um sistema de defesa enfraquecido”, explica a especialista. Fonte: O Regional.

Dicas para escovar direitinho os dentes dos pimpolhos…

DICAS PARA UMA BOA ESCOVAÇÃO!

- Somente aos 12 anos a criança está apta a escovar os dentes e passar o fio dental sozinha.Antes disso, a supervisão é fundamental.

- A escova de cabeça pequena deve ter cerdas macias, arredondadas e o mesmo comprimento.

- Coloque pequena quantidade de creme dental na escova.

-Facilite o atrito da escovação não molhando a escova.

- A escovação deve ser complementada com o fio dental.

Algumas crianças fogem o quanto podem para não escovar os dentes, mas, apesar de não gostarem, terem preguiça ou qualquer que seja o motivo, essa é uma questão muito importante e você não pode “amolecer”.

Para os pais de primeira viagem aqui vão algumas dicas essenciais:

1º Material

É importante usar escovas e cremes dentais adequados à idade do pequeno. Dica: deixe seu filho escolher o sabor da pasta!

2º Açúcar

Não tem jeito, seja para adultos ou crianças, restringir os doces é a maneira mais eficaz de prevenir cáries. Portanto, vale colocar na lancheira alimentos saudáveis como frutas.

3º Troca

A escova dental deve ser trocada assim que as cerdas da escova estiverem deformadas, uma vez que assim ela não remove os resíduos. Convide seu filho para escolher uma nova escova!  E então, seus filhos estão cuidando certinho dos dentes?

Fonte: Sorriso de criança e loja Cuca Fresca.

Conheça a escova de dentes que faz todo o trabalho !

Já pensou em ter uma escova que faça a limpeza dos seus dentes por você?

Não é nenhum robô ou sonho. A Dr. Veit Produtos criou a Sonic Toothbrush, para potencializar sua higiene bucal. A escova sônica é uma escova dental prática e de fácil utilização, que através de suas 30.000 poderosas oscilações sônicas por minuto, auxilia na redução de placa bacteriana.

Funciona com avançado sistema de controle, que disponibiliza três modos de escovação para diferentes necessidades, proporcionando um cuidado geral para dentes e gengiva. Possui auto-temporizador, garantindo o tempo de escovação recomendado pelos dentistas e avisando a cada 30 segundos, através de alertas (paradas), a necessidade de mudança de área de escovação.

Vem com três cabeças de escova, apropriada para uso familiar e pode ser utilizada com qualquer creme dental. A bateria dura por até duas semanas com escovação regular.

Para adquirir a sua basta entrar no link abaixo e fazer seu pedido  http://ow.ly/9T80o . Fonte: Dr. Veit

Protetores bucais são imprescindíveis para atletas!

A emissora Globo acaba de estrear The Ultimate Figther Brasil, um novo reality show, desta vez voltado aos esportes de lutas marciais. Nele, 16 competidores treinam e entram em combate entre si, divididos em duas categorias, peso pena e médio. O programa nada mais é do que o resultado da ascensão das lutas marciais através do MMA, que se tornou moda no mundo e, particularmente, no Brasil, nos últimos anos, decorrente da popularização de modalidades como boxe, muay thai, aikido, karate, tae kwon do, entre outras.
Com a extinção do vale tudo e com a profissionalização dos MMAs, as academias estão lotadas de novos alunos, homens e mulheres, de todas as idades, praticando essas “modalidades da moda”. Para o cirurgião-dentista Hugo Giovanni Motta Benedetti, os esportes são saudáveis, desde que tomados os devidos cuidados, por exemplo, com o uso de um protetor bucal, que pode ser pré-fabricado ou personalizado. “Mas muitos alunos não usam protetores bucais adequados ou simplesmente não usam nada. Podemos dizer que a função principal do protetor bucal é a de absorver e dissipar o impacto, protegendo os dentes de uma possível fratura e também evitar a reabsorção das raízes do dente devido às pancadas. Ele evita dilacerações da mucosa, principalmente em pessoas que usam aparelhos ortodônticos, fraturas na mandíbula e da articulação temporomandibular.
Mas o cirurgião-dentista afirma que a proteção é adequada não apenas para os esportes de luta ou de combate. Esclarece que o protetor bucal é fundamental também para jogadores de futebol, tendo como exemplo o português Cristiano Ronaldo e o goleiro Fábio do Cruzeiro, bem como atletas de corrida e basquete.
Segundo a Academia Americana de Odontologia Esportiva, o uso do protetor bucal personalizado diminui em 80% o risco do trauma dental. “Os protetores pré-fabricados são facilmente encontrados em lojas de artigos esportivos, possuindo vários modelos, porém com poucas alternativas de tamanho. Os populares protetores do tipo ‘ferve e morde’, possuem limitações, pois sua adaptação nos dentes é muito pequena, soltando-se facilmente e exigindo que o atleta mantenha os dentes sempre serrados para que não se soltem, o que acaba limitando a respiração pela boca”, esclarece Benedetti.
O segundo tipo, são os protetores bucais personalizados, aqueles feitos pelo dentista, a partir de uma moldagem do atleta. “São aparelhos confeccionados em placas de silicone ou materiais mais modernos, como nos protetores laminados, que podem ser coloridos, ter o nome do atleta ou uma figura. Esses protetores laminados são feitos de E.V.A., que é um material que oferece uma absorção de impacto até seis vezes maior do que protetores convencionais”, afirma o cirurgião-dentista. Fonte: jmonline

Dicas para uma correta escovação dos seus dentes…Confira!!!

Ao contrário do que se pode pensar, escovar os dentes não é tão simples. Apesar de fazer isso todos os dias, tem muita gente que não sabe escovar os dentes. Uma escovagem adequada, ajuda a remover a placa das superfícies interiores, exteriores e de mastigação dos seus dentes. A utilização do fio dental ajuda a remover a placa e os resíduos do espaço entre os dentes, especialmente em áreas de acesso difícil na zona imediatamente abaixo da linha das gengivas.

Passo a passo:

1) Segure a escova de modo que ela fique em um ângulo de 45 graus em relação aos dentes. Concentre-se na região de junção entre as gengivas e os dentes, pois é aí que se concentram os resíduos;

2) Faça movimentos horizontais bem curtos, vibrando as cerdas, ou faça pequenas rotações na direção do dente;

3) Fique por volta de 10 segundos em cada região que deve cobrir no máximo dois dentes;

4) Comece limpando a parte de fora dos dentes superiores, depois a dos inferiores, sempre seguindo os movimentos e angulação recomendada acima;

5) Escove as superfícies internas dos dentes de trás superiores e inferiores também, seguindo os movimentos e as angulações recomendadas;

6) Segue a escova perpendicularmente à língua para limpar a parte interior aos dentes da frente, começando pelos superiores e depois aos inferiores. Siga a mesma movimentação recomendada anteriormente;

7) Limpe a superfície de mastigação dos dentes de trás com movimentos para frente e para trás. Comece pelos dentes superiores e somente depois passe aos inferiores;

8) Para terminar, escove bem a língua;

9) Escolha uma escova de dentes com cerdas macias e que tenham as pontas arredondadas e polidas para não arranhar o esmalte dos dentes e com a cabeça do tamanho proporcional à sua arcada dentária. Exemplo: Quem tem a boca pequena, logicamente que deve escolher uma escova de cabeça pequena;

10) Prefira um creme dental com flúor, pois este ajuda a recompor o esmalte do dente corroído, além de inibir a própria corrosão;

11) Escove seus dentes pelo menos três vezes ao dia: após as refeições e antes de deitar. Evite comer ou beber produtos açucarados. Ao ingeri-los, escove os dentes em seguida.

Após a escovação:

            Após a escovação, recomenda-se fazer dois ou três bochechos bem vigorosos com água. Com sucessivos bochechos e a substituição da água, conseguimos remover por completo da boca, toda a placa bacteriana e os restos alimentares que foram soltos com o fio dental e a escovação, para que estes não possam “grudar” novamente nos dentes, além de removermos também o creme dental já utilizado. Completando a higiene bucal, finalmente pode-se bochechar com antissépticos adequados. Se em certas ocasiões não for possível escovar os dentes, faça pelo menos bochechos. Embora seja uma importante fonte de energia, o açúcar é o principal alimento das bactérias que formam a placa bacteriana, conseqüentemente a cárie. Após algumas horas, o açúcar que está contido em doces, balas e chocolates que costumamos comer entre as refeições, transformam-se em ácido lático. O açúcar não está presente só nos doces. Muitos alimentos que ficam entre os dentes, transformam-se em açúcares e este, após algum tempo, também transformam-se em ácidos. Estes ácidos atacam o esmalte, provocam sua corrosão e dão início à cárie. Por isso, é importante que as crianças (e também os adultos) escovem os dentes todas as vezes que comerem.

Cuidados especiais com as crianças:

            A criança deve adquirir o hábito de escovar os dentes antes dos dois anos de idade. Para despertar a curiosidade das crianças com relação ao hábito de escovar os dentes, os pais devem escovar os dentes na frente das mesmas. Depois, os pais devem presentear as crianças com escovas dentais infantis, para que elas possam acompanhá-los nas escovações.

            Os pais podem deixar as crianças escovar os dentes primeiro e depois devem repetir a operação quando as mesmas estiverem na faixa etária de 2 a 7 anos. Para escovar os dentes dos seus filhos, os pais devem ficar atrás das crianças, afastar os lábios e as bochechas com a mão esquerda e escovar os dentinhos das crianças com a mão direita (se for destro, ou o contrário, se for canhoto). 

            A parte de dentro (face lingual ou palatina) e de fora (face vestibular) dos dentes, devem ser escovados com movimentos circulares e movimentos de varredura (varrendo a superfície do dente – da gengiva para baixo em dentes superiores e da gengiva para cima em dentes inferiores), já a parte de cima dos dentes (onde os alimentos são mastigados – face oclusal) devem ser escovadas com movimento de vai e vem.

            Com o avançar da idade as crianças podem e devem escovar seus dentes sozinhas. Os pais devem estar atentos com a quantidade de pasta dental que seus filhos estão usando (devendo ser usado o mínimo necessário de creme dental), evitando que os mesmos engulam grande quantidade de pasta de dentes. Fonte: Portalbrasil.net