Por que os clareamentos dentários devem ser feitos antes da reabilitação oral?

Dentes mais brancos e saudáveis é um desejo da maioria dos pacientes. Durante um tratamento dentário completo (reabilitação oral), pode surgir a necessidade de realizar coroas, implantes dentários, restaurações e próteses, facetas de porcelana ou lentes de contato. Mas nem sempre o paciente deseja realizar um clareamento dentário naquele momento pois devem haver necessidades funcionais mais importantes como cáries ou ausência de dentes. Porém é necessário tomar a decisão de realizar o clareamento dental ANTES do tratamento completo.

Na verdade todos os materiais das próteses dentárias e restaurações devem ter suas cores escolhidas em harmonia com os demais dentes naquele exato momento.

Se o clareamento dentário for deixado para depois da reabilitação oral, os dentes naturais do paciente irão clarear enquanto que os dentes tratados não irão pois os materiais dentários(porcelana, zircônia e resina) não clareiam sob efeitos do gel clareador. Neste caso os dentes tratados ficarão com manchas ou escuros quando comparados aos dentes clareados.

O material utilizado no gel clareador (peróxido de carbamida ou peróxido de hidrogênio) não tem influência neste fenômeno, nem se a técnica de branqueamento dental for a laser ou caseira. Fonte: Blog Implart.

Boca bem cuidada é sinônimo de corpo saudável…

Falta de cuidados com a boca e a região dentofacial aumentam o risco para problemas respiratórios, de sono, zumbido e inclusive doenças cardiovasculares.

 

Falar, mastigar, deglutir e reconhecer o sabor dos alimentos são algumas das ações realizadas pela boca e seus componentes consideradas fundamentais para a sobrevivência do ser humano. A importância da saúde bucal vai além da digestão e linguagem, afetando a estética, a condição sistêmica do organismo e a vida social. “O indivíduo tem que ter confiança na sua imagem para conseguir se relacionar com as outras pessoas sem constrangimentos e um sorriso bonito e saudável é o primeiro passo”, observa o ortodontista e ortopedista facial Gerson Köhler.

A boca é a porta de entrada de alimentos, bebidas e de muitos micro-organismos que ficam instalados e se desenvolvem nos dentes, gengivas e mucosas bucais. Sem a higiene adequada, ocorre a proliferação de bactérias que podem causar infecções. O problema tem início na boca e se espalha gradativamente para outras partes do corpo. “A saúde bucal não pode ser desvinculada da saúde geral. Estudos científicos já comprovaram que doenças bucais podem provocar doenças sistêmicas e vice-versa”, destaca o especialista, integrante da equipe interdisciplinar da Köhler Ortofacial.

Os órgãos possuem uma interdependência para assegurar a integração do trabalho, ou seja, o funcionamento de uma área depende da outra e se houver algum problema o todo será prejudicado. “Além de comprometer o bem-estar físico e a qualidade de vida do indivíduo, a má higiene bucal pode gerar alterações psicológicas. É necessário ter uma visão ampliada da saúde, pois a boca faz parte de um sistema maior. As anomalias dentofaciais, como as oclusões incorretas, mordida aberta ou cruzada e o apinhamento dentário, também geram reflexos na saúde sistêmica do organismo”, enfatiza.

De acordo com Juarez Köhler, especialista em ortodontia e ortopedia facial e responsável pelo setor de Monitoração Ortopédica da Face Pediátrica (MOFP) da Köhler Ortofacial, a boca não pode ser vista de maneira isolada pelos profissionais. A saúde bucal se reflete nas articulações, vasos sanguíneos e órgãos que parecem – aparentemente – não ter contato com os dentes. “Coração, pulmões, estômago e até as artérias podem sentir os danos de uma cavidade bucal doente. Algumas horas sem escovar os dentes são o suficiente para a formação da placa bacteriana, que causa cáries e periodontite e – a partir desta – pode repercutir inclusive sobre a saúde do coração”,  esclarece.

Boca doente aumenta o risco de doenças cardíacas

As inflamações causadas por micróbios afetam a gengiva e contribuem para o surgimento da gengivite, que progride para a doença periodontal. A consequência é o aumento do risco de doenças cardíacas, respiratórias, artrites, gastrites e sinusites. Quem não escova os dentes pelo menos duas vezes ao dia tem 70% mais chances de desenvolver um problema cardiovascular. “A escovação e o uso do fio dental são essenciais para manter a boca e o restante do corpo saudáveis. Logo após as refeições deve ser realizada a higienização dos dentes e da língua”, recomenda Gerson, professor da pós-graduação da UFPR há 23 anos.

As bactérias aproveitam as lesões na gengiva e o espaço entre o dente e o osso para entrar na corrente sanguínea e percorrer o organismo. Se o indivíduo estiver com o nível de colesterol elevado, as artérias não serão poupadas pelos microorganismos. Eles ainda favorecem a constituição de placas de gordura nos vasos sanguíneos, o que pode causar um infarto ou derrame.  “Diabéticos e gestantes são ainda mais suscetíveis aos males que os micróbios da doença periodontal podem causar. As grávidas têm mais chances de ter parto prematuro e as pessoas com diabetes tem mais dificuldade para controlar a glicemia”, comenta Juarez.

Zumbido e alterações no sono podem ser causados por problemas bucais

O zumbido, som ouvido na cabeça ou nos ouvidos sem fonte externa, é um sintoma que pode indicar a presença de problemas bucais. O bruxismo, denominação do aperto de dentes provocado pelo excesso de força da musculatura facial, pode causar a compressão de áreas vascularizadas próximas aos ouvidos. “O cérebro pode – em determinados casos – decodificar os sinais da compressão como zumbido. O diagnóstico é feito a partir da realização de determinados movimentos que envolvem a face, a cabeça e o pescoço. A atuação do ortodontista em pacientes com zumbido acontece após a indicação do otorrinolaringologista ou otoneurologista”, explica Gerson.

A qualidade do sono também está relacionada com a saúde bucal. Alterações nas arcadas dentárias podem causar a queda para trás da língua durante o sono. O posicionamento incorreto da língua bloqueia a faringe, impedindo a passagem do ar. “A interrupção da respiração por alguns segundos ou a obstrução parcial da entrada e saída do oxigênio gera a Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS), um dos distúrbios mais graves no contexto da Medicina do Sono. A SAOS é considerada uma doença multifuncional, com várias causas associadas, que prejudica a saúde em geral e contribui para o surgimento de outras enfermidades”, acrescenta Gerson, que atua de maneira interdisciplinar em distúrbios do sono. Fonte: Bem Paraná.

Conheça alguns cuidados para deixar sua escova limpinha…

Uma boa escovação dental é imprescindível para uma vida saudável  e também livre de bactérias e demais problemas bucais. No entanto, em nossa tão agitada rotina, acabamos nos esquecendo de manter as condições necessárias para o uso do tão precioso item que permite  que todo processo de limpeza da boca seja realizado.

Pensando em você, preparamos dicas sobre como higienizar a sua escova dental, como também os cuidados que se fazem necessários quando o assunto é a saúde dos dentes – confira:

Local

Todos os dias a sua escova deve ser limpa e bem armazenada. Por isso, o primeiro fator de peso que determinará se o item será ou não próprio para o uso, se torna o local onde você irá dispor o objeto.

Segundo especialistas, ao usarmos o toalete, vários agentes patogênicos e coliformes fecais ficam presentes no ar do banheiro, principalmente quando a descarga é pressionada com a tampa do vaso aberta. Deste modo, a escova de dental deve ficar em locais fechados, tais como armários,  gavetas ou porta-escovas com tampas, para assim evitar a proliferação de bactérias.

Higienização

Lembrando que a escova dental  é uma importante aliada contra a placa bacteriana, gengivite, mau hálito e aquele horrível aspecto amarelado e com restos de comida, devemos diariamente fazer uma limpeza nesta tão fiel amiga que possuímos.

Para isto, não basta apenas retirar o excesso de água da escova e nem lavá-la com água corrente: faz-se de extrema importância higienizá-la com produtos que tenham ação antimicrobriana, como os enxaguantes bucais, a título de exemplo.

Após a escovação, enxague e seque bem a sua escova, aplicando sobre as cerdas o enxaguante bucal.  Guarde-a sem retirar o produto em um recipiente fechado, livre da exposição dos microorganismos e apenas a lave com água corrente no dia seguinte, antes de usá-la -  deste modo, você eliminará as possíveis bactérias mortas.

Lembre-se que assim como ninguém reutiliza o fio dental ou as roupas sujas em dias subsequentes, o processo de higienização é um hábito que deve ser adquirido diariamente e sem exceção.

Cuidados

Segundo os dentistas, o período para trocar as escovas varia entre dois e três meses, porém fique atento ao seu aspecto: mesmo com processo de higienização, que aumenta muito a sua durabilidade, quando ela já estiver gasta ou com uma aparência escura, já é hora de trocá-la por uma nova. Indica-se também, fazer o mesmo quando o usuário se cura de gripes ou resfriados, de modo que os germes podem sobreviver a ponto de retomar todo o processo infeccioso.

Tomando simples precauções é possível manter as condições de saúde necessárias para você e toda a sua família – são dicas que vale a pena investir. Fonte: Mundo das Tribos portal R7

Feliz dia das mães com muito amor!!!

Neste dia das mães a Clinica Ceiop deseja a todas as mães paz, saúde , felicidade, cumplicidade e muitos sorrisos entre mães e filhas. O sorriso nós podemos deixar mais bonito, mas o ato de sorrir é consequência direta do amor…..
Feliz dia das mães com muito amor pra vocês!!!

Conheça um pouco mais sobre prótese dentária…

Prótese dentária é um dispositivo que tem como objetivo único a substituição ou reposição de dentes perdidos e as suas estruturas adjacentes, através de elementos artificiais que pretendem imitar de forma bastante eficaz os dentes e até gengivas. A sua função é no fundo a de restituir as funções mastigatórias de forma eficaz e ao mesmo tempo corrigir esteticamente a boca e dentição do cliente.

Os materiais para confecção dos variados tipos de próteses são bastante diversificados, tais como resinas, cerâmicas, metais de transição ( titânio, cromo, cobalto, níquel, cobre, zircônio, paládio, prata, ouro). Os metais de transição são duros e possuem alto ponto de fusão e ebulição. Conduzem bem o calor e a eletricidade. Pode formar ligas entre si o que ocorre habitualmente para confecção de alguns tipos de próteses, como exemplo a parcial removível (Roti). Apresentam estados de oxidação variados, por isso os dentes podem apresentar margens escuras ou não. O zircônio é parecido com a cor do dente, duro, porém tem alto valor comercial para confecção de próteses. Popularmente dizendo ‘está na moda’.

Que tipos de prótesesdentárias existem?

Há várias formas de classificar as próteses dentárias, mas poder-se-ão resumir a três: quanto à extensão da prótese; tipo de suporte, tipo de fixação.

Passemos então a explicitar mais detalhadamente cada um:

- Segundo a sua extensão podem ser: unitárias, no caso de substituírem, por exemplo, apenas um dente; parciais, caso as próteses substituem 2 ou mais dentes e totais quando não há dentição alguma e toda a função mastigatória tem de ser reposta com um dispositivo que o faça para a totalidade da dentição.

- Segundo tipo de suporte: irei referir os casos mais comuns de suporte e fixação de próteses, pois na realidade, há diversas formas de suportar estas estruturas. As próteses dentárias podem ser suportadas nas estruturas de outros dentes (as chamadas pontes fixas), podem suporta-se à mucosa mastigatória (o caso das chamadas dentaduras), pode também optar-se pelo suporte em implantes, as chamadas próteses sobre implantes. Também há próteses parciais mistas que são suportadas na mucosa mastigatória e em dentes remanescentes (Roti).

- Segundo o tipo de fixação: as próteses fixas e as removíveis. A forma mais comum de classificar as próteses dentárias é pelo atributo do tipo de fixação, as próteses removíveis se tratam de próteses que se podem retirar no dia-a-dia, ou se pelo contrário são fixas por dentes ou implantes. Estas próteses diferem enormemente pela técnica de higienização. Se por um lado as próteses removíveis são de uma limpeza muito mais fácil, já que a sua remoção permite até desinfetá-las, as próteses fixas podem apenas serem limpas pelo método da escovação dental comum e com auxilio de fio dental. Quem tem próteses fixas, tem que ter bastante asseio com a boca. 

Tantos tipos de prótese…Qual devo escolher?

Existe uma variedade enorme de próteses dentárias devido as suas classificações o que pode levar a opção equivocada. É importante referir que para cada caso é aplicada uma prótese mais adequada. E nem sempre é possível dar ao cliente a escolha entre próteses, a opção deve ser feita tomando em conta não só o resultado que pretende o cliente, mas também suas possibilidades econômicas e até suas exigências estéticas. Como se vê não é tanto uma questão de escolha da prótese, mas antes uma questão de adequar a prótese certa a cada caso.

Ex.: Vantagens da prótese sobre implantes comparando com as próteses totais removíveis (dentaduras) e as próteses parciais removíveis: conforto mastigatório, limitação da reabsorção óssea, efeito psicológico positivo, poishá um sentimento de presença de dentes novamente, não machucam a gengiva, etc. Fonte: Folha da Terra/ES

A Clinica Ceiop é especializada em Implantes e próteses dentárias. Marque agora mesmo sua consulta para fazermos uma avaliação grátis (67) 3331.5226

Flúor: antídoto ou veneno?

Desde meados dos anos 70 até os dias de hoje, o flúor é utilizado publicamente nas redes de distribuição de água de várias cidades do mundo. Isso porque entre os anos de 1974 e 2005 foram feitas pesquisas com milhares de pessoas de diferentes faixas etárias entre 4 e 70 anos, e o resultado foi de um  percentual acentuado de 50 a 60% na diminuição do chamado  CPOD (Índice que marca dentes Cariados, Perdidos e Obturados). A fluoretação das águas de abastecimento público é uma das medidas mais amplas de promoção na área de saúde bucal, pois associa ao benefício da água tratada o seu impacto epidemiológico na redução da prevalência e severidade da cárie dentária.

Porém pesquisas científicas afirmam que o flúor, embora seja benéfico para a boca e os dentes, pode não fazer muito bem para a cabeça. Sim isto mesmo para a cabeça. Entre os efeitos cumulativos do flúor estão a apatia e a falta de tomada de decisões, e é exatamente isso que vemos em boa parte das pessoas hoje em dia.  Em concentrações elevadas, o flúor é uma substância tóxica que pode causar distúrbios de atenção, concentração e memória. Sem contar que quanto mais ferve-se a água mais se potencializa o teor do flúor contido nela.

Mesmo que você só beba água mineral engarrafada, que é livre do flúor, a água da torneira usada para fazer e cozinhar alimentos, se for fluoretada, tem o teor de flúor potencializado no momento que é fervida e de uma certa forma ninguém que viva numa cidade onde existe sistema de fluoretação da agua potavel fica livre desse risco.

Entretanto não há evidência científica de que em baixas concentrações, conforme a encontrada nos oceanos, e preconizada para uso em saúde pública, o flúor represente algum risco para a saúde humana.

Ficamos então em uma faca de dois gumes. Por um lado se a água da torneira faz bem para os dentes e se não for bem dosada pode estar fazendo mal para a cabeça,  concluímos que a melhor maneira de manter a saúde tanto bucal quanto mental é estar bem informado e com hábitos que possam equiparar essa situação. São eles:

- Procure beber sempre água filtrada ou mineral engarrafada;

- Mesmo que seja para cozinhar use senão água engarrafada, que ficaria muito caro, pelo menos a filtrada;

- Diminua a quantidade de creme dental utilizado, pois apenas um pingo na extremidade da escova de dente basta;

- Informe-se quanto a empresa ou central que faz o abastecimento de água na sua região e busque saber se existe fluoretação ou não. Caso haja procure a Agencia Reguladora do serviço (ANA – Agencia Nacional de Aguas) para saber quais índices são utilizados de    flúor na água, se estão dentro dos padrões saudáveis e de quanto em quanto tempo é realizada a fiscalização dos índices.

- Observe-se. Fique atento as suas atitudes bem como suas sensibilidade como dores etc;

- Consulte regularmente o dentista  e o médico. Prevenção é ficar atento para a saúde e não esperar que aconteça pior para depois remediar;

- E por último não fique muito bitolado no assunto pois senão vai acabar tendo complexo de água da torneira rsrsrs.

Marque sua 1ª consulta  gratuitamente hoje mesmo na:

Clinica CEIOP  - Centro Especializado em Implantodontia, Ortopedia e Prótese.

Rua Albert Sabin, 1293 - Bairro Belo Horizonte - Campo Grande MS - Fone: (67) 3331.5226

por @guifreizan