Novo método de escovação dos dentes pode aumentar em 4 vezes a proteção contra cáries!!!

Até parece algo especial ou até mesmo complicado quando se fala em aumentar 4 vezes  a proteção contra cáries nos dentes. Nada disso!!!

Um estudo da Universidade de Gotemburgo descobriu uma nova pasta com alta concentração de flúor, que deve ser passada com os dedos nos dentes, que pode quadruplicar a proteção contra cáries.

16 voluntários testaram uma série de técnicas de escovação, usando pastas de dente comuns ou a com muito flúor. “O estudo revelou que aqueles que usaram a pasta com alta concentração de flúor, três vezes ao dia, conseguiram se proteger das cáries quatro vezes mais”, afirma a pesquisadora Anna Nordström.

Em conjunto com a pasta, uma nova técnica de escovação foi desenvolvida: “esfregar” os dentes com os dedos. “Essa massagem provou ser mais efetiva na escovação”.  “Esfregar a frente dos dentes com pasta é uma boa maneira após o almoço. Mas isso não deve substituir a escovação normal pela manhã e a noite – é um extra”.

Os pesquisadores descobriram que massagear os dentes com creme dental usando os dedos é tão efetivo quanto uma terceira escovação, pois aumenta a quantidade de flúor na boca. Portanto, esfregar a pasta sobre os dentes durante o dia seria o mesmo que receber uma “injeção” extra da substância.

A massagem pode ser realizada depois do almoço, por exemplo, mas nunca deve substituir a escovação matinal ou a que você realiza antes de dormir.

Dicas dos pesquisadores:

  • Escove os dentes pelo menos duas vezes por dia, após o café da manhã e antes de dormir;
  • Se necessário, escove uma terceira vez também, ou massageie os dentes com o creme dental depois do almoço;
  • Caso você tenha problemas de incidência de cáries, escolha uma pasta de dentes específica e rica em flúor;
  • Evite enxaguar a boca depois de escovar os dentes.

Fonte: caratinga.net / tecmundo.com.br

Dicas para uma correta escovação dos seus dentes…Confira!!!

Ao contrário do que se pode pensar, escovar os dentes não é tão simples. Apesar de fazer isso todos os dias, tem muita gente que não sabe escovar os dentes. Uma escovagem adequada, ajuda a remover a placa das superfícies interiores, exteriores e de mastigação dos seus dentes. A utilização do fio dental ajuda a remover a placa e os resíduos do espaço entre os dentes, especialmente em áreas de acesso difícil na zona imediatamente abaixo da linha das gengivas.

Passo a passo:

1) Segure a escova de modo que ela fique em um ângulo de 45 graus em relação aos dentes. Concentre-se na região de junção entre as gengivas e os dentes, pois é aí que se concentram os resíduos;

2) Faça movimentos horizontais bem curtos, vibrando as cerdas, ou faça pequenas rotações na direção do dente;

3) Fique por volta de 10 segundos em cada região que deve cobrir no máximo dois dentes;

4) Comece limpando a parte de fora dos dentes superiores, depois a dos inferiores, sempre seguindo os movimentos e angulação recomendada acima;

5) Escove as superfícies internas dos dentes de trás superiores e inferiores também, seguindo os movimentos e as angulações recomendadas;

6) Segue a escova perpendicularmente à língua para limpar a parte interior aos dentes da frente, começando pelos superiores e depois aos inferiores. Siga a mesma movimentação recomendada anteriormente;

7) Limpe a superfície de mastigação dos dentes de trás com movimentos para frente e para trás. Comece pelos dentes superiores e somente depois passe aos inferiores;

8) Para terminar, escove bem a língua;

9) Escolha uma escova de dentes com cerdas macias e que tenham as pontas arredondadas e polidas para não arranhar o esmalte dos dentes e com a cabeça do tamanho proporcional à sua arcada dentária. Exemplo: Quem tem a boca pequena, logicamente que deve escolher uma escova de cabeça pequena;

10) Prefira um creme dental com flúor, pois este ajuda a recompor o esmalte do dente corroído, além de inibir a própria corrosão;

11) Escove seus dentes pelo menos três vezes ao dia: após as refeições e antes de deitar. Evite comer ou beber produtos açucarados. Ao ingeri-los, escove os dentes em seguida.

Após a escovação:

            Após a escovação, recomenda-se fazer dois ou três bochechos bem vigorosos com água. Com sucessivos bochechos e a substituição da água, conseguimos remover por completo da boca, toda a placa bacteriana e os restos alimentares que foram soltos com o fio dental e a escovação, para que estes não possam “grudar” novamente nos dentes, além de removermos também o creme dental já utilizado. Completando a higiene bucal, finalmente pode-se bochechar com antissépticos adequados. Se em certas ocasiões não for possível escovar os dentes, faça pelo menos bochechos. Embora seja uma importante fonte de energia, o açúcar é o principal alimento das bactérias que formam a placa bacteriana, conseqüentemente a cárie. Após algumas horas, o açúcar que está contido em doces, balas e chocolates que costumamos comer entre as refeições, transformam-se em ácido lático. O açúcar não está presente só nos doces. Muitos alimentos que ficam entre os dentes, transformam-se em açúcares e este, após algum tempo, também transformam-se em ácidos. Estes ácidos atacam o esmalte, provocam sua corrosão e dão início à cárie. Por isso, é importante que as crianças (e também os adultos) escovem os dentes todas as vezes que comerem.

Cuidados especiais com as crianças:

            A criança deve adquirir o hábito de escovar os dentes antes dos dois anos de idade. Para despertar a curiosidade das crianças com relação ao hábito de escovar os dentes, os pais devem escovar os dentes na frente das mesmas. Depois, os pais devem presentear as crianças com escovas dentais infantis, para que elas possam acompanhá-los nas escovações.

            Os pais podem deixar as crianças escovar os dentes primeiro e depois devem repetir a operação quando as mesmas estiverem na faixa etária de 2 a 7 anos. Para escovar os dentes dos seus filhos, os pais devem ficar atrás das crianças, afastar os lábios e as bochechas com a mão esquerda e escovar os dentinhos das crianças com a mão direita (se for destro, ou o contrário, se for canhoto). 

            A parte de dentro (face lingual ou palatina) e de fora (face vestibular) dos dentes, devem ser escovados com movimentos circulares e movimentos de varredura (varrendo a superfície do dente – da gengiva para baixo em dentes superiores e da gengiva para cima em dentes inferiores), já a parte de cima dos dentes (onde os alimentos são mastigados – face oclusal) devem ser escovadas com movimento de vai e vem.

            Com o avançar da idade as crianças podem e devem escovar seus dentes sozinhas. Os pais devem estar atentos com a quantidade de pasta dental que seus filhos estão usando (devendo ser usado o mínimo necessário de creme dental), evitando que os mesmos engulam grande quantidade de pasta de dentes. Fonte: Portalbrasil.net

Cuidados especiais para quem usa piercing na boca. Seus dentes agradecem!!!

O uso de piercing na boca é cada vez mais frequente entre os jovens, o adereço já pode ser visto em diversos locais como, língua, lábios e bochecha. Porém, o que poucos adeptos sabem é que a peça pode causar sérios danos tanto nos dentes como na gengiva, língua e ossos do sistema bucal.

A cirurgiã-dentista Gisele Bortoli Rauli explica que em muitos casos a joia pode causar infecções que desencadearam no surgimento de doenças. “Ao contrário da nossa pele, a mucosa bucal é bastante sensível e mais propícia à proliferação de bactérias. Esses organismos podem utilizar a perfuração do piercing como porta de entrada para inflamações e outros males”, diz.

Segundo a especialista em alguns pacientes a perda do dente é inevitável, devido ao atrito na região ou trama na hora da mastigação. “Se o dente já foi comprometido pelo excesso de desgaste, não tem muito a ser feito. A extração acaba sendo a única opção. Mas é também comum casos de separação dos dentes, retração da gengiva e alteração na dicção”, afirma Gisele.

Além disso, em algumas situações o piercing pode começar a interferir na oclusão dental, causando problemas na mordida e no alinhamento dos dentes. “Nos casos em que a pessoa coloca o objeto no lábio ou na bochecha, ela pode começar a morder a parte interna da boca ou, então, o contato contínuo poderá causar lesões no local. Instintivamente vai alterar a mastigação, o que poderá desencadear uma má oclusão dentária”, explica.

A recomendação da especialista para quem já possui piercing e não quer abrir mão do acessório, é que o paciente deve manter uma boa higiene bucal, fazendo uma limpeza diária da região. “Nesse caso, deve-se retirar a joia e limpar o local onde está o furo, e também utilizar antisséptico bucal para uma limpeza mais profunda. Além disso, fazer consultas frequentes ao dentista”, aconselha.

No entanto, se o paciente está com planos de colocar um piercing, Gisele sugere a procura por um local apropriado, que possua certificação sanitária e que tenha boas recomendações. “O ideal é sempre olhar o estúdio antes de fazer o piercing. Nessa visita já será possível avaliar se o local é limpo, se os instrumentos e objetos de manuseio são esterilizados, bem como os brincos”, orienta. Fonte: paranashop.com.br

Procure a CEIOP e faça sua consulta com um novo conceito em odontologia. Rua Albert Sabin, 1293 – Campo Grande, MS – (67) 3331.5226

Tira dúvidas sobre clareamento dentário…Fique por dentro!!!

Aproveitando que o assunto é clareamento dentário e estética bucal, encontramos essa esclarecedora sessão de perguntas e respostas sobre o tema, respondida por vários profissionais da área, que com certeza vai ajudar você a entender melhor todo o processo dos tratamentos relacionados ao tema em um tira dúvidas bem interessante e informativo. Confira e fique por dentro!

O clareamento a laser trata dentes manchados?

O clareamento dental a laser é indicado tanto para dentes escurecidos de maneira uniforme quanto para aquelas pessoas que tem pequenas manchas. Feito no consultório, o tratamento usa um gel à base de peróxido de hidrogênio, que quando penetra no esmalte e na camada externa do dente (conhecida como dentina) libera oxigênio e quebra as moléculas de pigmentação responsáveis pelo escurecimento. O cirurgião-dentista Mario Groisman, da Academia Brasileira de Odontologia, explica que, após fazer o isolamento absoluto da região, o gel é aplicado sobre os dentes e fotoestimulado por meio de led ou laser, gerando o clareando. O tratamento custa em média 900 reais é feito em duas a três sessões com cerca de uma hora de duração cada.

Posso fazer clareamento em casa sem consultar um dentista?

 De acordo com o odontologista, o clareamento dental doméstico usa um gel clareador de baixa potência, que o paciente aplica por meio de uma moldeira de silicone feita em laboratório. “Neste molde, o paciente aplica o gel clareador e o deixa na boca durante o tempo determinado pelo dentista, podendo inclusive dormir com ele”, explica. Por ser um gel de baixa potência, é indicado para os casos menos severos de escurecimento e, se houver necessidade, os tratamentos a laser e em casa podem ser feitos simultaneamente. O tratamento dura entre 10 e 30 dias, só podendo ser feito com recomendação de um profissional especializado.

O clareamento altera a cor de restaurações e dentes postiços?

O tipo de gel utilizado atua somente sobre a estrutura dentária, portanto porcelanas e outras restaurações irão manter o mesmo tom. “Caso ocorra alguma diferença de tonalidade após o tratamento, as restaurações devem ser trocadas para conseguir uma estética adequada”, explica o odontologista José Bernardes, de Belo Horizonte.

Como é feita a escovação durante o tratamento?

O paciente deve escovar os dentes com menos frequência durante o tratamento. Mario explica que a pessoa que faz clareamento pode escovar os dentes normalmente, desde que a pasta não contenha corantes, pois os dentes estão mais sujeitos à manchas durante o tratamento.

O dente clareado pode escurecer novamente?

Segundo o cirurgião-dentista Mario Groisman, os dentes clareados escurecem naturalmente com o passar do tempo, mas dificilmente voltarão à cor inicial. “Com passar da idade os dentes tornam-se mais escuros, sendo recomendadas novas sessões de clareamento”, afirma.

A pessoa que clareia os dentes pode fumar?

 Durante o tratamento e nas 48 horas posteriores os dentes estão mais sujeitos a manchas, por isso o fumo deve ser evitado. “A pessoa pode voltar aos hábitos costumeiros após esse período, porém o clareamento durará menos tempo e ela terá que fazer mais sessões se quiser manter os dentes brancos”, afirma Oscar Barreiros.

É necessário fazer mudanças na alimentação?

A ingestão de alimentos com muito pigmento ou corantes – como refrigerante, balas, vinho e café – pode escurecer os dentes mais rapidamente, exigindo manutenção. José Bernardes aconselha evitar esses alimentos durante o tratamento e até uma semana pós-clareamento. “Depois disso o paciente poderá voltar a comê-los, correndo o risco de ter os dentes escurecidos mais rapidamente, havendo a necessidade de renovar o tratamento”, explica.

Mulheres grávidas podem fazer o tratamento?

Segundo os especialistas, tanto o tratamento caseiro quanto o a laser possuem substâncias oxidantes, que podem afetar as células e tecidos, prejudicando o bebê em desenvolvimento. Como ainda são necessários mais estudos para comprovar se o clareamento faz mal ou não ao bebê, a contraindicação para gestantes e para mulheres que estão amamentando permanece.

A partir de qual faixa etária já é possível clarear os dentes? 

 A odontologista Lílian Meneguetti, da clínica Dental Solution, declara que crianças abaixo dos 10 anos não podem fazer clareamento dental, pois sua estrutura dentária ainda é muito sensível, além das chances de haver dentes de leite.

O clareamento deixa os dentes fracos?

 Os especialistas afirmam que se o tratamento for feito de forma adequada não há qualquer chance de os dentes ficarem enfraquecidos. “O clareamento não prejudica a estrutura dental, portanto não há perda de resistência”, conta Oscar.

Quem faz clareamento pode ficar com os dentes sensíveis?

Em alguns casos os dentes podem ficar sensíveis durante o tratamento, mas o sintoma pode ser controlado com o uso de produtos a base de flúor, por exemplo. “A maioria dos produtos clareadores já têm, incorporados na sua fórmula, agentes que atuam para evitar o problema”, diz José. Fonte: expressonoticias.com

Procure a CEIOP e faça sua consulta. Seus dentes dizem muito sobre você, portanto cuide bem deles !!! A aparência dentária vale o seu sorriso e sua auto estima !!! CEIOP. Um novo conceito em odontologia. Rua Albert Sabin, 1293 – Campo Grande, MS – (67) 3331.5226

Estética e Clareamento Dental

O clareamento dental já alcançou grande popularidade na sociedade brasileira, graças a valorização do indivíduo perante a estética. Atualmente as técnicas de clareamento apresentam maior segurança, menores custos, menor sensibilidade dental e sem dúvida melhor domínio das técnicas pelo profissional cirurgião-dentista. Faça uma consulta. CEIOP e surpreenda-se. CEIOP. Um novo conceito em odontologia. Rua Albert Sabin, 1293 – Campo Grande, MS – (67) 3331.5226

Cuide da sua gengiva

75% da população maior de 25 anos de idade apresenta doenças nos tecidos de sustentação dos dentes


Setenta e cinco por cento da população adulta tem algum tipo de doença periodontal. Pode ser uma gengivite, que ataca só a gengiva, uma periodontite crônica, em que até o tecido ósseo é afetado, ou mesmo manifestações mais sérias que resultam de doenças sistêmicas, como o diabete. Se a coísa se agravar, você acabará perdendo um ou mais dentes. Na maioria dos casos, não há nenhuma dor para disparar o alarme. E é aí que mora o perigo. Os pacientes deixam para procurar ajuda apenas quando o problema piora demais. Uma grande preocupação dos especialistas é a relação da doença periodontal com outros males até mesmo os cardíacos. “Muitas .infecções surgem ou se agravam quando a gengiva não é tratada”.

Aparelhos Estéticos

Nos últimos anos a ortodontia evoluiu muito no que diz respeito aos materiais estéticos. Com o advento da colagem, não é mais necessário “bandar” cada dente individualmente para se montar o aparelho. Atualmente, os brackets que compõem os aparelhos estão cada vez menores e mais discretos e os brackets estéticos aparecem como a última novidade.

Os aparelhos estéticos representam uma alternativa para os pacientes que não querem ter um sorriso metálico durante o período de tratamento. A maioria dos aparelhos estéticos é feita de cerâmica ou diferentes compostos plásticos, o que confere a cada tipo, características únicas, que devem ser levadas em consideração na hora da escolha.


Apesar de seu grande apelo, os aparelhos estéticos devem ser utilizados por ortodontistas familiarizados com as técnicas específicas para cada modelo de aparelho, pois existem cuidados inerentes a eles que não existiam com os braquets metálicos.

Clínica CEIOP

A Clínica CEIOP- Centro especializado em implantodontia, ortodontia e prótese instalada na cidade de Campo Grande- MS surgiu de um projeto moderno e ambicioso para oferecer aos pacientes um tratamento odontológico diferenciado e inovador.

ceiop-clinica

A clínica conta com uma equipe de especialistas, jovens e dinâmicos, atuando nas mais diversas áreas, desde estética até cirurgias avançadas, capaz de fornecer conforto e facilidades ao cliente: podendo ele realizar todo o seu tratamento num só lugar. Buscando excelência no atendimento, com profissionais capacitados, instalações e equipamentos de última geração, a CEIOP é hoje um novo conceito em odontologia em Campo Grande – MS. Contamos com uma estrutura adequada a realizar tratamentos em um único dia (SPA odontológico), no qual o paciente é atendido por todos os profissionais dependendo de seu caso e pode descansar na sala de repouso feita especialmente para este fim, munida de ar condicionado, frigobar e tv a cabo.

ceiop-clinica-2

A Clínica CEIOP também pode ser entendida como a realização do sonho de uma Clínica de Odontologia que fosse uma extensão de sua casa e tivesse o conceito de “Odontologia Integrada”. Integrada tanto do ponto de vista da odontologia como da perspectiva de integração com o mundo em que vivemos.

ceiop-clinica-3

A Clínica CEIOP oferece aos seus clientes as seguintes especialidades: estética restauradora, ortodontia e ortodopedia facial, implantodontia, endodontia (tratamento de canal), cirurgias avançadas, próteses, periodontia (tratamento de gengiva) e a cada novo cliente, ganhamos um amigo e sempre estaremos cumprindo com nossa missão que é “Oferecer a sociedade tratamento odontológico diferenciado e inovador com alta tecnologia e qualidade”.

Implantodontia [parte 3]

Após a colocação dos parafusos, dos implantes dentários, existe 3 possibilidades, dependendo da técnica a ser utilizada:

      A- A colocação de uma tampa sobre implante (existe uma rosca, na cabeça do implante dentário, onde é fixado essa tampa), sutura e depois, se passa para a segunda faze cirúrgica.

      B- A colocação de uma tampa sobre a parte do implante e também de enxerto ósseo, caso necessário (quando a perda óssea é pequena), sutura e passamos para a segunda faze cirúrgica.

      C- A colocação imediata de um dente provisório e sutura. (o paciente já sai com os dentes sobre os implantes). Obs: Essa técnica é utilizada, só quando temos condições de faze-la, pois depende de vários fatores, para não prejudicar o implante dental, recém colocado.

Reabertura dos Implantes dentários: É a segunda fase cirúrgica. Com um mínimo de 4 meses após a primeira fase cirúrgica, é feita uma pequena abertura na gengiva para acomodar um conector(chamado de cicatrizador), que vai unir a raiz artificial à coroa (o novo dente) e dar o contorno adequado à gengiva;

Moldagem: Uma vez cicatrizada a gengiva, é feita uma moldagem, com a colocação de pequenos pinos. São feitos modelos de gesso da boca, com os implantes em suas posições exatas;

Provisórias: Feitas em acrílico da cor dos dentes, para estimular a maturação óssea em volta das raízes artificiais;

Dentes definitivos: Como todas as conexões são pré-fabricadas, a adaptação e justeza do trabalho são incomparáveis. Os dentes são parafusados sobre as raízes artificiais e podem ser removidos sem esforço pelo profissional, caso seja necessário algum reparo da porcelana, tratamento gengival ou aumento da prótese por perda de algum outro dente natural. Mesmo na ausência de qualquer destas intercorrências, anualmente, é aconselhável o desparafusamento e um polimento. O conector, que aparece sob os dentes, pode ser recoberto com resina da cor dos dentes vizinhos, para melhor estética.

Carga Imediata, o que é?

Carga Imediata é a colocação imediata de um “coroa provisória”, já no ato cirúrgico, logo após a colocação do implante, não aguardando o prazo de 4 ou 6 meses Esse tipo de procedimento, só pode ser usado, em certos casos, em que não vai haver carga mastigatória excessiva, sobre esse implante, pois se isso ocorrer, pode haver perda do implante dentário.

Causas de Falência, do Implantes Dentários:

Estudos estatísticos apontam que, dentre os poucos casos de insucessos, levando a perda dos implantes dentários, a esmagadora maioria é causada por falta de cuidados higiênicos adequados e a consequente formação de placa microbiana entre as raízes artificiais e as gengivas.

Caso Clínico de Prótese Fixa sobre Implantes:

Exemplo de um caso clínico, em que foi feito uma fixa de porcelana com 5 elementos sendo 3 elementos (canino e premolares, possuem raízes com pinos e nos molares foram colocados dois implantes rosqueados de titânio. Obs: como não se pode fixar implantes com dentes naturais, foi colocado um encaixe entre os molares e os premolares. As próteses dos molares foram fixadas ao implantes com parafusos para poder ser retiradas pelo dentista para se avaliar as condições do implante e quanto o estado de sua higienização, que esta sendo feita pelo paciente.

Implantodontia [parte 2]

As melhores indicações, para a colocação de implantes dentários, são as regiões anteriores, de pré-molar a pré-molar em maxila e em mandíbula. Regiões mais posteriores podem sofrer restrições por apresentarem acidentes anatômicos que atrapalham a instalação de um implante dental, embora seja necessário um exame radiográfico para a perfeita indicação ou contra-indicação. Mesmo nesses casos, se pode conseguir implantar, com o auxilio de técnicas que preparam o osso, para que possa ser possível a colocação de implantes dentários. Infelizmente é contra-indicado os implantes dentários em alguns pacientes portadores de Diabetes, com taxa de glicose no sangue alta, e que não se consegue uma redução desses niveis, para indices aceitáveis, pois nestes pacientes a osteointegração fica prejudicada. A cirurgia de implantação dentária é delicada para o cirurgião. Para o paciente ela não traz maiores dificuldades. É executada sob anestesia dentária local comum, em consultório, com os cuidados normais de uma pequena cirurgia bucal. A dor é facilmente controlada com analgésicos, tornando o pós-operatório bastante cômodo.

A implantação é realizada em seis etapas:

Planejamento: É mais difícil e importante das etapas. Nela serão solicitados exames radiográficos com marcadores especiais que permitam uma medição exata da quantidade de osso disponível em seus maxilares. Quanto maior a quantidade (altura e espessura e qualidade do osso), maior poderá ser o tamanho do implante dentário e consequentemente maior a resistência do mesmo. Serão avaliados minuciosamente as estruturas orais, (incluindo dentes, gengivas, mucosas, língua, músculos da mastigação, padrão de mordida e desoclusão, avaliação da saliva e hábitos higiênicos). Serão feitos modelos de gesso de suas arcadas dentárias para estudo, os quais serão montados em um articulador (aparelho para o estudo dos movimentos mastigatórios). Nele serão estudados a forma e função dos seus dentes naturais, possibilidades e alternativas de próteses (planejamento dos dentes artificiais). Serão solicitados exames laboratoriais, para avaliar sua condição geral de saúde e metabolismo ósseo e, ainda, exames específicos para detectar sua qualidade óssea. Com base nisto tudo, o profissional decidirá o tipo de prótese ideal para o seu caso específico (Fixa de porcelana, por exemplo, ou no caso de quiser fixar mais, as dentaduras, barateando o custo, neste caso). Juntando estas informações com suas medidas e qualidade ósseas é que será decidido o número, distribuição (localização ideal) e tamanho dos implantes. Quanto maiores, mais largos e em maior número, tanto melhor o resultado final e melhor a capacidade mastigatória. Serão avaliadas suas gengivas e sua higiene. Doenças gengivais, cáries, infecções, dentes com tratamento de canais duvidosos e má higiene (acúmulo de placa microbiana) contra-indicam a colocação de implantes. A fase cirúrgica só pode ser realizada após completamente eliminados os problemas acima.

Colocação dos implantes de dentes. Primeira fase cirúrgica: Depois da aplicação de anestesia, é feito a incisão e descolamento da gengiva, no local previamente determinado para a colocação dos implantes (esses passos são feitos, se não for preciso enxerto de ossos antes). Depois são feitas cavidades no osso (uma para cada implante) onde serão alojados os implantes (normalmente, utilizamos os implantes do tipo parafuso, por possuir uma maior área de contato com o osso, do que os implantes cilíndricos). Depois de feito as cavidades os implantes são aparafusados no osso (a semelhança que se faz para aparafusar um parafuso, em uma madeira).